Início » Economia » Poupança sofre maior queda em 30 anos

Poupança sofre maior queda em 30 anos

Inflação subindo, poder de compra caindo...Vale lembrar: poupança nem é investimento!
porquinho e moedas
Braňo|Unsplash

Mais uma vez, ela. A vilã dos brasileiros desinformados, sem educação financeira… Ela mesma! A poupança! Com a maior queda em 30 anos, a poupança está cada vez pior.

Dessa vez, aquele que “investe” na poupança está tendo perdas acumuladas do poder de compra há quase 1 ano, segundo pesquisa da Economatica, plataforma de informações financeiras.

Trata-se da maior queda desde 1991 e da 11ª perda consecutiva do poder aquisitivo do poupador, considerando julho de 2021.

Olhando para os números, quando se desconta a inflação (medida por meio do IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo) da rentabilidade da poupança nos últimos 12 meses até julho, o valor fica em -6.67%. Na última vez que a queda acumulada por 12 meses foi nesse patamar, o valor foi de 9,72% de perda, em outubro de 1991.

Como funciona a poupança?

Pra quem não sabe, a poupança é assim: se a Selic está acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% + a Taxa Referencial. Já se a Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic + Taxa Referencial.

No caso atual, que a Selic está abaixo de 8,5%, a poupança está rendendo os 70% da Selic, ou seja, ela é ainda menor! E quando se fala de poder de compra, é necessário descontar a inflação, além de tudo.

Ainda falando de renda fixa, a rentabilidade do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) descontada da inflação também seguiu negativa no mês de julho pelo décimo mês seguido, acumulando cerca de 6% de perda no último período de 12 meses.

Segundo o estudo da Economatica, o CDI não registra tamanha queda desde 1991 também:

“Não registrávamos valores nesse nível desde o mês de fevereiro de 1991, quando o CDI em 12 meses registrou queda de -23,99% descontada a inflação”.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp