PIB dos EUA cai 1,4% no primeiro trimestre deste ano

O que aconteceu para a maior economia do mundo sofrer essa retração? Vem entender tudo
Imagem de Wall Street, para ilustrar a situação do PIB americano

Sim, estamos falando dos Estados Unidos, mas você sabe como a queda do PIB pode afetar o seu bolso?

De acordo com o Departamento de Comércio americano, o Produto Interno Bruto (PIB) do país sofreu uma queda de 1,4% no primeiro trimestre de 2022, comparado com o primeiro trimestre do ano passado.

Esse resultado representa a primeira queda no indicador, desde o segundo trimestre de 2020, no início da pandemia.

O que é o PIB?

PIB é a sigla para Produto Interno Bruto. É um indicador econômico, que mede a produtividade de um país em determinado período. Além de ser uma das principais métricas para entender como anda a economia local.

Ao contrário do que muitos pensam, o PIB não mede as riquezas que o país possui, mas sim a produtividade, ou também as riquezas produzidas, em determinado período.

Qual o motivo para essa queda do PIB?

Segundo o relatório, as principais causas dessa queda foram: a diminuição dos gastos do governo americano, diminuição das exportações e o aumento das importações. 

Dessa forma, grande parte dessa contenção de investimentos do governo, foi originado da aparição da variante Ômicron, no início do ano. 

Junto a isso, a inflação que já estava batendo na porta dos americanos, fizeram o governo conter os seus gastos, para evitar que uma outra injeção de dinheiro na economia, piorasse o cenário inflacionário.

Quais eram as expectativas para o resultado?

Segundo a Refinitiv, um dos maiores institutos de pesquisa econômica do mundo, o mercado esperava um crescimento de 1% no PIB americano, pegando de surpresa os investidores e economistas.

Quais os impactos disso no Brasil?

A maior economia do mundo sofrendo uma retração, nunca é boa notícia para ninguém. Os impactos irão variar de acordo com outros dados, como a inflação e a taxa de juros. 

Contudo, o que está sendo comentado, é que com um cenário desses, de inflação alta e uma taxa de juros dos Estados Unidos aumentando, mais os investidores estarão com medo do risco e enxergando nos títulos públicos americanos a solução.

Tirando de países emergentes, como o Brasil, para deixar mais seguro e melhor remunerado, em dívidas do governo dos Estados Unidos. E claro, uma saída muito forte de dólar do Brasil, pode sim contribuir para uma alta do dólar e até queda do Ibovespa. 

Inscreva-se na nossa newsletter!