Petróleo despenca e chega na mínima das últimas duas semanas

Será que os preços do combustível vão aliviar? Entenda o cenário
Pessoa abastecendo um carro que remete ao petróleo

Dias após a grande corrida por gasolina e diesel, causando grandes filas nos postos de combustíveis e memes, algumas boas notícias começam a aparecer sobre o petróleo.

Nesta terça-feira (15), a cotação do barril de petróleo despencou mais de 6% e os preços chegaram a valores próximos do início do conflito entre Rússia e Ucrânia. 

Dessa forma, lá pelas 10 horas da manhã, o petróleo Brent registrava perda de 6% atingindo o patamar dos US$ 100,49. Já o petróleo WTI estava em baixa de 6,39% e era negociado a US$ 96,43.

Nesse sentido, ontem mesmo o Brent também registrou perdas de 5,1% e o WTI caiu cerca de 6,32%. Lembrando que o petróleo Brent chegou a bater US$ 139,13 no dia 7 de março deste ano.

Qual a diferença entre o petróleo Brent e WTI?

Primeiramente, existem vários tipos de petróleo comercializados ao redor do mundo, porém dois são os principais: Brent e WTI. 

O petróleo Brent é mais leve e grande parte é produzida na Europa e aqui no Brasil. É também considerado a referência mundial para a commoditie.

Já o WTI (West Texas Intermediate), é o petróleo produzido nos Estados Unidos, nos estados do Texas (obviamente), Louisiana e Dakota do Norte. Esse tipo é mais pesado e mais difícil de ser refinado.

Qual o motivo dessa queda?

São dois os principais motivos, o primeiro é a China e o outro é sobre Rússia e Ucrânia, vamos por partes.

Apesar de muitos estados e municípios aqui no Brasil, anunciarem a liberação do uso de máscaras em locais abertos, na China o cenário é bem diferente. 

No país oriental, o número de casos de Covid voltou a subir e algumas cidades já decretaram um novo lockdown para evitar um agravamento da situação. 

Dessa forma, com as pessoas em casa, a perspectiva é que a demanda por combustível diminua e isso ajudou os preços a caírem. 

Além disso, o outro motivo é o avanço nas negociações entre Rússia e Ucrânia, que pode resultar em um cessar-fogo. Esse otimismo também alivia a pressão nos preços do petróleo. 

Os preços dos combustíveis vão voltar a cair?

Por enquanto não, mas para você não perder nada do que acontece no mercado, é só se inscrever na nossa newsletter

Inscreva-se na nossa newsletter!