Petrobras tem novo presidente

A estatal aprovou nome indicado por Bolsonaro em meio a polêmicas
Imagem de Caio Paes de Andrade, novo presidente da Petrobras

Pelo número de trocas nesses últimos tempos, parece que a cadeira de presidente da Petrobras possui algumas tachinhas no assento. Será que o novo presidente aguenta?

Novo presidente da Petrobras: check

Nesta segunda-feira (27), o Conselho de Administração da Petrobras confirmou o nome de Caio Mário Paes de Andrade como presidente da empresa. Portanto, com a nomeação, Paes de Andrade já é o 4º nome a ocupar o cargo durante a gestão do atual governo.

O mandato do novo presidente, que contou com o apoio do presidente da República, Jair Bolsonaro, será até abril de 2023. No entanto, a posse já é rodeada de um sério clima de tensão frente à crise vivida pela empresa.

Leia mais:

Rússia é acusada de dar calote

Inflação em junho continua avançando

Contextualiza, ADM…

A moral da Petrobras vem sendo atingida já há algum tempo, pressionada pelo cenário global onde os combustíveis em geral enfrentam uma escalada nos preços. Contudo muitas decisões da empresa no país colocaram ainda mais pimenta na crise.

No dia 17 deste mês a empresa anunciou reajuste nos preços dos combustíveis, o que gerou uma série de reações tanto da população quanto dos atores do Estado. Nesse sentido, após as críticas, o então presidente José Mauro Coelho, no dia 20, decidiu renunciar.

Muito pepino pra resolver

Paes de Andrade era o secretário de uma pasta ligada ao Ministério da Economia. Agora ele assume o novo cargo, após a demissão de Mauro Coelho, tendo que lidar com muitas críticas e opinião vindas de todos os lados.

De acordo com a Anapetro, que é uma associação dos acionistas minoritários da Petrobras, Paes de Andrade não teria o currículo adequado para o cargo. A análise também recebeu o apoio de Rosângela Buzanelli, representante dos funcionários no Conselho da empresa.

Além disso, o novo presidente precisará lidar com as pressões do governo em seu pé de ouvido. Isto pois, no último dia 22, por exemplo, Bolsonaro havia declarado que o novo chefe da Petrobras precisaria realizar uma grande faxina na diretoria da empresa, além de rever sua política de preços.

Inscreva-se na nossa newsletter!