Petrobras anuncia reajuste nos preços dos combustíveis

Guerra da Ucrânia com a Rússia? Ou só oferta e demanda? Entenda o porquê desse aumento
Funcionário da Petrobras abastecendo os postos

Pois é amigos, o brasileiro não tem nem 60 dias de paz mesmo viu. Pode ir preparando a bicicleta, o bilhete do transporte público e as pernas que a Petrobras tem um novo reajuste.

Depois de 57 dias sem alterar o preço da gasolina e do diesel, a Petrobras anunciou hoje que fará um reajuste nos preços dos combustíveis, 18,7% para a gasolina e 24,9% para o diesel. 

Além disso, depois de 152 dias, o gás de cozinha também sofrerá reajuste, desta vez de 16%.

Qual o motivo do reajuste?

Ao contrário do que muitos imaginavam, segundo a estatal, esse aumento não é decorrente da guerra entre Ucrânia e Rússia. 

Na nota que a empresa emitiu, diz que esse reajuste foi justificado por recalcular os preços “no mesmo sentido de outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda”.

A petrolífera ainda comentou que, apesar da grande volatilidade dos preços do petróleo por conta do conflito entre os dois países, a Petrobras decidiu não repassar os preços ao consumidor nesse primeiro momento. 

Portanto, a justificativa da empresa é que o patamar do preço das commodities no mundo todo aumentou, por conta da oferta limitada de fornecedores, quando comparado com a demanda por esse produto.

Traduzindo, muitas pessoas querendo e poucos fornecedores, o preço vai às alturas.

E quando começa a valer?

Os novos preços começarão a valer a partir de amanhã (11). 

Para a gasolina, o preço de venda da Petrobras mudará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro. Já o do etanol sairá de R$ 3,61 para R$ 4,52 por litro. E o gás de cozinha (GLP) mudará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por quilo.

Bolsos preparados? Então aqui vamos nós nos reajustar junto com esses reajustes. E a notícia mais preocupante é que o conflito da Rússia e Ucrânia ainda nem começou a nos afetar.

Inscreva-se na nossa newsletter!