PEC do governo quer zerar imposto federal sobre combustível

Desconto para o motorista seria de cerca de R$ 0,20 no litro
foto do presidente falando sobre impostos de combustíveis

“Você e sua amiguinha, ‘quer’ subir na minha motinha…”. Colega, a gente está vivendo numa época em que até andar de ônibus virou luxo. Com o preço dos combustíveis nas alturas, governo negocia com congresso PEC para zerar os impostos sobre a gasolina. 

Como é que é isso? 

Seguinte, bebês, o governo do atual Presidente Jair Bolsonaro, criou uma PEC, Proposta de Emenda à Constituição, para zerar os impostos federais sobre os combustíveis e a conta de luz.

A explicação para a PEC é que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), exige que haja uma compensação de um imposto por outro. Ou seja, se reduzir ou zerar um determinado tributo, deve-se aumentar em outro. 

Como isso não é interessante no momento, a PEC do governo visa zerar o PIS e Cofins sobre a gasolina e a conta de energia elétrica sem ter que compensar de outro lado.

Ué! Maravilhoso! Não passou ainda? 

Calma, coração. Imagine marcar um cafezinho para 513 deputados e 81 senadores.. 

Além disso, o governo enfrenta críticas por técnicos da economia que dizem que a medida não está valendo nem aqueles guarda-chuvinhas de chocolate. 

Isso porque, a fatia de imposto que pertence ao governo federal, o PIS e o Cofins que incidem sobre os combustíveis e as contas de energia, já é bem pequena. 

Zerar os impostos só faria o motorista ter um desconto de R$ 0,20 no máximo. Em contrapartida, a União deixaria de arrecadar R$ 50 bilhões. 

Mas, analisando o todo, verdade seja dita, o preço de muita coisa subiu porque parte dos produtos precisam ser transportados. Se ele cai, mesmo que pouco, pode ser que isso reduza o preço de algumas coisas também. 

Já com relação a conta de luz, considere que quase todos os serviços hoje em dia dependem de energia. Uma redução, mesmo que tímida, pode baratear essas coisas. 

ADM, até agora só vi vantagem. Qual o problema? 

Avalia comigo. Zerar impostos, certamente é algo que anima. Principalmente se não tem que jogar para outro lado. Contudo, nosso país ainda gasta muito. 

Pense o seguinte. Se o seu chefe reduzir o seu salário, você vai ter que reduzir seus gastos também. E se você não fizer isso, vai acabar se endividando. 

Está entendendo o rumo dessa conversa? Deixando de arrecadar R$ 57 bilhões, somando descontos de impostos em combustíveis e em energia, de onde o governo vai tirar dinheiro para pagar todas as contas que só estão subindo?

O ADM jogou e saiu correndo. A conclusão fica com vocês.

Inscreva-se na nossa newsletter!