Início » Economia » Paulo Guedes afirma que a aprovação das reformas compensaria o teto de gastos

Paulo Guedes afirma que a aprovação das reformas compensaria o teto de gastos

Durante evento em Brasília o Ministro da Economia falou mais uma vez sobre a última polêmica
Paulo Guedes falando publicamente
(Wilson Dias/Agência Brasil)

Durante o evento no Parque de Exposição da Granja do Torto, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a falar sobre a grande polêmica da semana passada. 

Contextualizando

 

Na última semana, estava marcado para ser anunciado o novo Auxílio Brasil, que viria para substituir o Bolsa Família. A nova proposta seria de um pagamento de R$ 400 para mais de 17 milhões de pessoas.

A questão é que esse projeto do governo excederia o teto de gastos, mecanismo utilizado para controlar as despesas do governo, em R$ 30 bilhões. 

Claramente, com esse grande risco fiscal, o mercado não reagiu bem e só na semana passada o Ibovespa caiu mais de 7%. 

Para tentar controlar os ânimos, Guedes disse que a aprovação da PEC dos Precatórios também ajudaria a conter os gastos e compensar o furo no teto. 

A reafirmação

 

No último domingo (24) o ministro reafirmou que com a aprovação das reformas o governo conseguiria economizar bem mais do que ele excederia no teto de gastos.

Sob a visão de Guedes, com a reforma administrativa, o governo economizaria R$ 300 bilhões que comparados aos R$ 30 bilhões excedentes ao teto de gastos, esse “furo” seria compensado.

Outra crítica do ministro foi com a reforma do Imposto de Renda que, segundo ele, seria a principal fonte de recursos de curto prazo para subsidiar o novo projeto. 

Críticas ao Senado

 

Guedes não escondeu sua insatisfação com Rodrigo Pacheco a respeito do prosseguimento da agenda de reformas do governo e ainda pediu publicamente um maior comprometimento do presidente do Senado para continuar esses processos estagnados.

Possível demissão

 

E por último, o ministro aproveitou para acabar com os rumores de sua saída e afirmou que não deixará o cargo. 

“Sairemos juntos” afirmou Guedes se referindo a ele e a Bolsonaro.

Em resumo, é melhor já ir se acostumando porque esse Auxílio Brasil e o furo no teto de gastos estão iguais ao Thanos, inevitáveis. Ta aí, mais um capítulo dessa interminável saga.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp