Open banking: compartilhamento de dados bancários começa hoje no Brasil

Mas calma, é só se você autorizar! A ideia do Banco Central é criar o maior open banking do mundo
Open banking: compartilhamento de dados bancários começa hoje

A segunda fase do open banking no Brasil começou hoje (13). A partir desse momento, os clientes podem decidir se querem ou não compartilhar seus dados entre as instituições financeiras. Com isso, nome, endereço, saldo e extrato bancário poderão ser divididos entre os bancos.

Adm Explica

"Mas Adm, tá doido? Como assim compartilhar meus dados?": calma, meu amigo. Se você nunca ouviu falar sobre esse termo, o open banking é uma plataforma supervisionada pelo Banco Central (BC) que vai permitir que os clientes compartilhem dados entre diferentes bancos. Assim, será possível receber ofertas e serviços personalizados conforme cada perfil.

Tendência em diversos países ao redor do mundo, incluindo as nações da União Europeia, a Austrália e a Nova Zelândia, a novidade ainda está em processo de implementação no Brasil. A ideia é que o sistema seja totalmente executado a partir do dia 15 de dezembro desse ano.

Segundo o chefe do departamento de regulação do Banco Central, João André Pereira, a ideia é revolucionar o sistema financeiro do Brasil. “Estamos criando o maior open banking do mundo e batendo vários recordes mundiais”, afirmou ele em um evento virtual.

E o que isso vai mudar na minha vida?

Para os bons pagadores, o open banking pode ser um prato cheio. Com os dados compartilhados entre as instituições, os clientes poderão ter uma experiência melhor em cada banco. Afinal, cada um deles já saberá como você se comporta e qual é o seu perfil como consumidor.

E se você, como eu, já passou um bom tempo esperando aquele banco aprovar o seu cartão de crédito ou aumentar o seu limite (alô, Nubank!), saiba que isso também pode se tornar mais fácil. Isso porque as instituições financeiras terão mais facilidade para reconhecer bons pagadores.

Porém, se você costuma atrasar os boletos, fique esperto! Se você permitir, agora todos os bancos saberão. Isso pode dificultar algumas tarefas da sua vida financeira, como pedidos de empréstimos ou aprovação de um novo cartão, por exemplo. 

Na prática, como vai funcionar? 

O compartilhamento dos dados poderá ser feito por meio do aplicativo do banco. Para isso, é necessário que o cliente autorize a troca de informações.

Portanto, quem não quiser autorizar, não precisa fazer nada, já que as instituições não podem divulgar os dados sem consentimento.

Porém, é importante ressaltar que as instituições só trocarão essas informações quando você autorizar. Ou seja, caso um determinado banco solicite a troca de dados uma vez, ele pode pedir novamente no futuro.

Isso pode acontecer quando você precisar preencher alguma papelada burocrática para a liberação de um empréstimo, por exemplo. Ao invés de passar alguns minutos escrevendo tudo, você pode simplesmente autorizar o seu banco a pegar informações que você já concedeu para uma outra instituição financeira.

Inscreva-se na nossa newsletter!