Moeda mexicana atrai investidores enquanto a do Brasil afasta

Eleições polarizadas por aqui explica a preferência
bandeira do méxico que tem atraído investidores

“Y soy rebelde, cuando no sigo a los demás…”. A moeda do México apresenta preferência de investidores diante de outros países emergentes. Já a do Brasil, tem causado o efeito inverso. 

Foi só por que começou Rebeldes? 

O remake tem feito sucesso na Netflix, mas os investidores estão acompanhando uma outra novela, as eleições. 

Não tem “Maria do Bairro” que vença essa trama. A polarização política por aqui, faz o mercado buscar países mais estáveis, o que é o caso do México, que no momento, não tem eleições marcadas. 

Outro fator é o laço estreito com os Estados Unidos. O todo poderoso tem sido o centro das atenções, já que pode ser que aumente sua taxa básica de juros. 

Isso significa que investir na moeda americana será uma bela vantagem. Afinal, quem não quer emprestar dinheiro com juros interessantes para um país Top das galáxias?

Assim, com os olhos do mercado voltados para os EUA, quem estiver andando com ele vai ganhar notoriedade. E o México está aproveitando a carona. 

Como andam as coisas no país da Usurpadora? 

Inicialmente, falando da taxa básica de juros que está em 5,5%. A previsão é de que essa porcentagem chegue a 6,50% até o final deste ano. 

A título de comparação, no Brasil, a taxa básica de juros, a Selic, aquela que serve como referência para as demais taxas de juros de contratos, por exemplo, está em 9,25%. 

Ou seja, ainda que o país da Carminha esteja pagando quase o dobro de juros para quem emprestar dinheiro para o nosso governo, os investidores estão preferindo emprestar para o país da Paola Bracho. 

E não é melhor emprestar para quem paga mais? 

Teoricamente, sim. Contudo, o medo de não receber seu dinheiro de volta afasta o desejo de investir. 

Um ano de eleição costuma sair caro, já que alguns concorrentes gastam mais tentando mostrar serviço. 

Veja o exemplo na Colômbia, outro país que está às vésperas de uma eleição. Um dos candidatos, Gustavo Petro, disse que pretende pegar dinheiro emprestado do Banco Central a juros zero. 

Esse mesmo candidato é o favorito nas pesquisas. Tomar esse rumo ainda na campanha faz o investidor ter medo de colocar suas suadas verdinhas no cofre daquele país. 

Na nossa Pátria amada, a polarização Bolsonaro X Lula também tem gerado medo. 

Será que o Chapolin aceita vir ajudar nossa economia? 

Inscreva-se na nossa newsletter!