Mineradora MMX, de Eike Batista , tem sua falência suspensa

A empresa de Eike Batista mais uma vez dando o que falar.
Eike-Batista-Sorrindo

Ei,ke treta foi essa?

Eike e sua mineradora MMX (MMXM3) teve, no começo de maio, a falência da unidade Sudeste decretada. A empresa já estava em recuperação judicial desde 2014. Além disso, também já havia recebido um outro decreto de falência há 2 anos, revertido pelos advogados do empresário.

A treta agora foi que o Tribunal de MG suspendeu a falência por meio de um fato relevante divulgado nesta semana.

O fato traz que passar do estado de recuperação judicial para a falência deveria ter sido anunciado com uma manifestação prévia da MMX Sudeste a respeito das alegações feitas pelo administrador judicial quanto ao descumprimento do Plano de Recuperação Judicial.

O que é recuperação judicial?

Recuperação judicial é um meio de evitar que a empresa enfrentando dificuldades chegue à falência.

Quando uma empresa solicita a recuperação judicial, ela tem intermédio da justiça para tentar um acordo entre a empresa e todos os seus credores – aqueles a quem ela deve algo – para que ela consiga se reorganizar para pagar seus funcionários, matéria prima e produtos essenciais para o funcionamento do negócio

As ações da MMX, ainda em abril deste ano, estavam oscilando bastante (para cima, principalmente) por causa dos rumores a respeito de investimentos milionários que viriam de um fundo da China.

Já depois, em 4 de maio a falência foi decretada devido ao, segundo a juíza que cuidava do caso, não cumprimento das obrigações impostas a ela em seu PRJ (Plano de Recuperação Judicial).

Quanto à suspensão da falência, a decisão ainda está sujeita a recurso. Agora é ver o desenrolar disso.

Segundo a juíza que estabeleceu a sentença do decreto de falência, Cláudia Helena Batista, continuar aumentando os prazos para que essa empresa só agravaria os prejuízos já causados aos credores que há anos tentam recuperar os créditos que lhe são devidos

Inscreva-se na nossa newsletter!