Microsoft prevê que 40% das pessoas consideram largar seus empregos no próximo ano

Imagem da Fachada da Microsoft

Nessa hora que você para e pensa, “Então não sou só eu?” rs. 

Neste final de semana, a Microsoft divulgou um estudo chamado “Índice de Tendência do Trabalho para 2021”, sobre como as mudanças do mercado e as tendências de consumo irão afetar os empregos e os trabalhadores.

No levantamento, um número chamou muito a atenção: 40% dos empregados consideram largar seus empregos no próximo ano!

Por que dessa mudança? 

Segundo um artigo que já mostramos aqui no The Compass, os trabalhadores querem cada vez mais migrar para o trabalho híbrido, principalmente depois que a pandemia mostrou para muitas empresas e para seus colaboradores que eles podem viver o “melhor dos dois mundos”:

  • tendo liberdade para trabalhar de casa ou de onde quiser;
  • ter a opção de fazer reuniões ou treinamentos presenciais quando necessário.

Então, segundo a Microsoft, muitas das empresas que não se adaptarem fortemente ao trabalho híbrido podem ver seus colaboradores considerando ir embora para empresas onde eles terão essa possibilidade. Um dado interessante é que 73% dos entrevistados querem que o trabalho seja mais flexível quanto a horário e presença.

Além disso, especialistas da Forbes ressaltam o quão importante é que esta adaptação do formato de trabalho seja tanto para as empresas quanto para os colaboradores, para que ambos estejam em sintonia e estejam satisfeitos.

Pela Forbes, essa adaptação das empresas ao trabalho remoto já é uma necessidade, porque só assim as companhias vão conseguir segurar talentos e profissionais com potencial dentro das corporações.

Andando em paralelo com essa tendência está um mercado gigantesco de “home-office”, que se tornou muito mais relevante após o início da pandemia. 

Pessoas precisando de notebooks mais potentes, internet de melhor qualidade em casa ou cadeiras para home office mais confortáveis criaram um mercado em grande crescimento. Tudo isso, já movimentou bilhões de reais.

Isso porque um estudo da Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise Covid-19 diz que 46% das empresas brasileiras se adaptaram ao home-office.

Inscreva-se na nossa newsletter!