IPCA: inflação acelera 1,25% em outubro e já atinge 10,67% em 12 meses

Na mesma linha dos últimos resultados, esta é a maior alta para um mês de outubro desde 2002
IPCA: inflação acelera 1,25% em outubro e já atinge 10,67% em 12 meses

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado o principal indicador da inflação no Brasil, acelerou para 1,25% em outubro. O número é o maior para um mês de outubro desde 2002, quando o IPCA ficou em 1,31%.

Além disso, a variação é maior do que a do mês de setembro, quando o indicador foi de 1,16%. No ano, o índice já acumula alta de 8,24%. Nos últimos 12 meses, a variação é de 10,67%.

O IPCA mede o aumento dos preços de produtos e serviços no país. Para isso, o índice reflete padrões e hábitos de consumo de famílias com renda entre 1 a 40 salários mínimos por mês. 

O que contribuiu para o aumento?

Todos os nove grupos de produtos e serviços analisados pelo IPCA subiram em outubro.

O destaque foi para o setor de transportes (+2,62%), que foi impulsionado pela alta nos preços dos combustíveis (+3,21%). Já a energia elétrica, que se destacou em setembro, quando subiu 6,47%, continua em alta. No entanto, o avanço neste mês foi menor: 1,16%.

Confira os resultados para cada um dos grupos analisados:

  • Alimentação e bebidas: 1,17%
  • Habitação: 1,04%
  • Artigos de residência: 1,27%
  • Vestuário: 1,80%
  • Transportes: 2,62%
  • Saúde e cuidados pessoais: 0,39%
  • Despesas pessoais: 0,75%
  • Educação: 0,06%
  • Comunicação: 0,54%

Na prática, o que isso significa?

Anualmente, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelece uma meta de inflação, com o intuito de evitar que os preços acelerem exageradamente.

Para 2021, a meta é de 3,75%, com tolerância de 1,5% para cima ou para baixo (entre 2,25% e 5,25%). Portanto, já dá para notar que este alvo ficou para trás.

Em outras palavras, nosso poder de compras está diminuindo radicalmente, o que afeta a economia como um todo. Afinal, se os preços sobem e os salários continuam os mesmos, as pessoas compram menos, o que enfraquece os negócios.

Inscreva-se na nossa newsletter!