IPCA-15 aponta que inflação de fevereiro subiu para 0,99%

No mês passado o índice era de 0,58%
Foto que mostra alta da inflação apontada pelo IPCA-15

Sem lutas não há derrotas. Aproveite os bons momentos, porque a rasteira vem, papai. IPCA-15 aponta um avanço na inflação em relação ao mês anterior. O índice é o maior desde fevereiro de 2016. 

Melhor voltar a plantar feijão no algodão. 

Piorou de novo?

E dessa vez foi com força. O avanço na inflação no mês passado de 0,58% deixou saudades, já que em fevereiro o índice IPCA-15 apontou um aumento para 0,99%. 

Antes de mais nada, o IPCA-15 é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo que avalia como anda a inflação no período de 15 dias. 

De acordo com o IBGE, que é o instituto responsável por fazer essa avaliação, o índice de fevereiro ‘venceu’ na vida, porque desde fevereiro de 2016 ele não era tão alto. 

Ou seja, vai ter que cortar a bolacha “Passa Tempo” e levar o Cream Craker mesmo. Leite Moça, nem pensar. 

Como segurar essa ‘égua’? 

A melhor tática dos governos nacionais e internacionais é apostar na taxa básica de juros, aqui no Brasil, a chamada Selic. 

Então, quando o Banco Central sobe a taxa que serve como referência para qualquer outro juros, fazer dívidas pesa ainda mais. Assim, as pessoas desistem de pegar empréstimos e de financiar aquele celtinha verde duas portas. 

Logo, pegando menos dinheiro de bancos, por exemplo, as pessoas seguram a mão na hora de gastar e o produtor tem tempo de colocar mais mercadoria para consumo e os preços caem. 

Porém, existe um lado obscuro da Selic… ‘UUUUi’! 

Que lado obscuro é esse?

O lado malvadinha da Selic alta, que atualmente está em 10,75%, é aumentar os custos para empresas que precisam de empréstimos para fazer seu negócio crescer. 

Assim, empresas, indústrias, comércios e afins, que precisam de um ‘help’ financeiro passam a ter uma dívida maior, já que os juros aumentam. 

Por isso, elas acabam pegando menos dinheiro, ao mesmo tempo em que deixam de produzir mais. E é neste momento que elas precisam de um incentivo, um investimento privado de investidores e uma redução de impostos como cereja do bolo. 

Se a nossa Selic é o Batman para combater a inflação, ela está precisando de um Robin urgente. 

Inscreva-se na nossa newsletter!