“Inflação do aluguel” cai 0,64% em setembro, primeira queda em 18 meses

Nem só de altas vive o brasileiro... Apesar da queda no mês, o IGP-M já saltou 16% no ano
"Inflação do aluguel" cai 0,64% em setembro, primeira queda em 18 meses

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como a inflação do aluguel, caiu 0,64% em setembro, segundo divulgado hoje (29) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Essa é a primeira variação negativa do indicador desde fevereiro de 2020, às vésperas da pandemia, quando o IGP-M caiu 0,04%.

No mês passado, o indicador já havia indicado sinais de desaceleração. O IGP-M subiu 0,66% em agosto, em comparação com uma alta de 0,78% em julho.

Porém, como nem tudo que reluz é ouro, o índice acumula uma alta de 16% em 2021. Já olhando para os últimos 12 meses, a variação positiva chega a 24,86%.

Pera aí, o que é a inflação do aluguel?

O IGP-M é um indicador de inflação que considera os setores de construção civil, indústria, moradia, agricultura e varejo.

Adm Explica

Calculado pela FGV, o IGP-M se diferencia do IPCA — principal índice de inflação do Brasil — ao focar nos preços na hora da distribuição e produção, ou seja, antes do consumo. Já o IPCA é mais voltado aos preços finais, que chegam ao bolso do consumidor.

Por isso, o IGP-M é bastante usado para ajustes do setor de moradia e aluguel, já que cobre os preços relacionados à construção das moradias.

O que muda com isso?

A desaceleração do IGP-M pode refletir diretamente em nossos bolsos. Isso porque o índice é bastante utilizado como parâmetro para contratos de aluguel.

Além disso, outros exemplos que também utilizam o indicador para reajustes são: energia elétrica, planos de saúde e mensalidades de escolas e faculdades.

Para entender melhor o assunto, confira nosso artigo sobre “Inflação: entenda o que é e como ela afeta a sua vida”.

Inscreva-se na nossa newsletter!