Inflação atinge a maior taxa para abril desde 1996, por quê?

IPCA registra 1,06% no mês passado e o acumulado dos últimos 12 meses bate os 12%
Imagem de um supermercado, na área de hortifruti, para ilustrar a inflação

Se você está achando que está tudo caro, respire, leia até o final, e veja que dá para ficar mais caro ainda, é rir para não chorar galera, porque a inflação está gargalhando. 

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a métrica oficial da inflação brasileira, registrou um aumento médio de 1,06% nos preços de produtos e serviços em abril deste ano. 

O resultado é o maior já registrado para o mês de abril, desde 1996. Além disso, a inflação acumulada dos últimos 12 meses chega a 12,13% ao ano, maior taxa desde 2003. 

O que é a inflação?

Inflação é o nome dado para o aumento generalizado dos preços, de produtos e serviços, da economia de um país. Note a palavra “generalizado”, que significa que o aumento de preço de um setor, exclusivamente, não é considerado inflação.

Para medi-la, existem vários métodos e índices diferentes, contudo, o IPCA é considerado o índice oficial da inflação, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Quais eram as expectativas?

Mais uma vez, o aumento dos preços em abril superou todas as expectativas. Segundo o Valor Data, a média das previsões para o índice ficou em 1% para abril. 

E quando comparamos com a meta da inflação, aí o buraco (na carteira) fica ainda mais fundo. A meta superior está em 5%, ou seja, esse deveria ser o máximo que o IPCA deveria chegar este ano. 

Sim, o pessoal está com uma mira bem torta, na tentativa de atingir este alvo. 

Quais foram os motivos para esta alta?

Os motivos são basicamente os mesmos dos últimos meses. A diferença é que o impacto está sendo cada vez maior. 

A economia mundial está sofrendo com a reabertura da economia, um cenário em que a demanda voltou ao “normal” e a oferta não consegue atender a essa demanda, causando um aumento nos preços. 

E o grande problema é que o aumento de juros, não tem um mesmo impacto na inflação causada por baixa oferta. 

Inscreva-se na nossa newsletter!