Inflação americana chega a 0,6% e supera expectativas para o mês de abril

O PCE cheio é o maior resultado desde 2008 e o núcleo PCE chega à maior marca desde 1992.
Bandeira-americana-atrás-de-gráficos-e-número-diversos

A inflação americana medida pelo PCE chega a 0,6% no mês de abril, fica acima das projeções e bate recordes.

O que é PCE?

PCE é a sigla para Personal Consumption Expenditures, que gastando o meu inglês seria traduzido para Despesas de Consumo Pessoal ou como é popularmente chamado de Índice de Preços de Consumo Pessoal.

Enfim, é um dos principais índices de inflação dos Estados Unidos. Lá eles possuem o PCE e o CPI como métricas do aumento de preços, assim como no Brasil temos o IPCA e o IGP-M.

A principal característica do PCE é que esse índice de inflação é usado como referência para o Federal Reserve (FED) estudar o rumo da política monetária americana.

(Caixa azul) Federal Reserve: é o órgão responsável pelas políticas monetárias dos Estados Unidos, ele se assemelha ao nosso Banco Central.

Esse índice registra as variações nos preços de vários produtos e serviços, considerado uma métrica mais abrangente do que o CPI, além de indicar mudanças no comportamento dos consumidores.

Voltando à notícia…

Segundo o PCE a inflação nos Estados Unidos registrou uma alta de 0,6% no mês de abril. Vale ressaltar que existem duas formas de analisar esse índice.

O primeiro é o chamado índice cheio, o qual registrou uma alta de 3,6% entre abril do ano passado até abril deste ano, o esperado pelo mercado era de 3,5%.

Esta marca é a maior desde a crise do subprime em 2008.

A segunda forma de analisar é através do nomeado “núcleo da inflação”, que não considera os preços de alimentação e combustíveis, registrou um aumento nos preços no mês de abril de 0,7% também acima do esperado pela Refinitiv, que divulgou uma expectativa de 0,6%.

Já olhando na base anual, o crescimento foi de 3,1%, extrapolando os 2,9% esperados pelo mercado, atingindo o maior nível desde 1992.

O que causou esse aumento de preços?

Dinheiro em rolo de papel higiênico
Imagem: Petter Pentilä

Bom, dá para perceber que mesmo esses recordes sendo batidos, as previsões não ficaram tão longe do esperado.

Isso porque o forte aumento já estava no radar do mercado por dois potenciais motivos:

  • Os pacotes de estímulos de Biden que injetaram uma grande quantidade de capital na economia americana, que os Compassers já sabem, mais dinheiro circulando, mais as pessoas querem gastar, causando um aumento de demanda e consequentemente aumento nos preços.
  • O outro fator é que o fechamento da economia durante o início da pandemia, causou uma escassez de alguns produtos e matérias primas. Mesmo se recuperando de boa parte dessa falta de insumos, não está 100% normal como antes, devido a isso a oferta desses produtos no mercado fica menor e consequentemente ajudam os preços a subirem.

O que isso impacta na minha vida?

Oras, tudo o que acontece nos Estados Unidos, na principal economia do planeta, tem uma grande possibilidade de refletir no resto do mundo, principalmente nos países emergentes, tanto positivamente, como negativamente.

Exemplos práticos

Vamos supor que com o aumento da inflação, a taxa básica de juros americana suba para conter esse movimento. Pensa comigo, os títulos públicos dos Estados Unidos, considerado o investimento mais seguro do mundo, vão remunerar mais.

Pô, é o mais seguro do mundo e está remunerando melhor? Quem não vai querer?

E assim existe um movimento dos investidores de tirarem parte dos seus investimentos de renda variável para esses títulos.

Porém existe outro ponto de vista a ser analisado.

Com a inflação subindo, a rentabilidade real dos investimentos tende a diminuir e o que os investidores procuram fazer? Alguns preferem tomar mais riscos para ter uma remuneração melhor.

(caixa azul) Rentabilidade real: é a sua rentabilidade descontando a inflação, ou seja, o resultado acima da inflação.

Como? Investindo em países emergentes. Alô Brasil! Dólares entrando mais pessoas comprando ações brasileiras e assim vai.

Lembrando que não necessariamente isso irá acontecer, mas são possíveis consequências, claro que isso vai depender de mais fatores.

O que você deve ficar atento

O aumento da inflação bateu recordes, isso todos entenderam, mas essa magnitude de aumento, será constante? Ou foi pontual? Caso for pontual, as preocupações tendem a cessar, mas se for constante aí existe uma preocupação. Mas só o tempo dirá.

Outra coisa, Joe Biden está planejando uma proposta de orçamento de US$ 6 trilhões para expandir a economia americana, mas será que esse dinheiro todo rodando na economia vai provocar mais aumento dos preços?

Só nos próximos capítulos.

Inscreva-se na nossa newsletter!