Inflação ameaça mercados de países emergentes

Mão segurando notas de dinheiro em chamas

Os investidores de mercados emergentes dão sinais de que estão ficando mais seletivos, uma vez que a corrida do ano passado está sentindo cada vez mais o peso das expectativas de inflação – que crescem cada vez mais.

O que é inflação?

Voltando aos países emergentes, os investidores que antes estavam mais entusiasmados quanto aos mercados emergentes estão agora mais alertas sobre isso desde que veio a pandemia nesses países.

Ou seja, tanto o investidor por conta própria quanto os gestores de fundos estão com um pé atrás quanto a essas economias.

Ao mesmo tempo, os rendimentos dos títulos de Tesouro dos EUA subiram.

Enquanto isso, um dos índices dos mercados emergentes, o MSCI Emerging Markets, acumula perdas de quase 10 % desde sua máxima em fevereiro.

Com os EUA se recuperando fortemente para impulsionar a recuperação global, os países que têm fortes laços com os EUA se tornam atraentes ao investidor.

“Ainda há um escopo significativo para gerar retornos dentro de mercados emergentes, desde que os investidores sejam capazes de diferenciar”, disse o estrategista-chefe da JP Morgan Asset Management,

Vale dizer que nem tudo é ruína: quanto aos emergentes, o cenário é positivo diante das commodities devido à grande porcentagem das exportações.

Países como México, Rússia e Africa do sul também se beneficiaram da recuperação da combinação disso com outros fatores. Um índice de referência das matérias primas atingiu, neste mês, o maior nível em cinco anos.

E falou em commodities, falou em Brasil, né?

Aqui é evidente a influência das commodities no mercado. As exportações de soja e minério de ferro têm dado um empurrão no real diante de outras moedas.

Como também nem tudo são flores, embora a perspectiva de recuperação seja algo bom, com ela cresce a percepção de que isso provavelmente vai resultar em preços mais altos – inflação. 

Inscreva-se na nossa newsletter!