IBGE: Produção industrial brasileira cai 0,7% em agosto

Terceira queda consecutiva supera as expectativas
Imagem de produção industrial, simbolizando PMI da indústria em julho no Brasil

 A produção industrial no Brasil caiu 0,7% em agosto quando se compara a julho, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Esta é a terceira queda seguida, que resulta numa perda acumulada de 2,3%.

A expectativa de economistas e analistas da Refinitiv, um dos maiores fornecedores mundiais de dados e infraestrutura de mercados, era de uma queda de 0,4% em relação ao mês anterior e de estabilidade em relação ao ano passado.

Mas o que ocorreu em relação ao ano passado foi uma queda de também 0,7% – sim, a mesma queda em relação a julho deste ano – e não de zero como esperado.

Pra você ter uma noção, o recorde da produção industrial – maio de 2011 – está 19,1% acima do valor atual.

Por que isso aconteceu?

 

De acordo com André Macedo, gerente da pesquisa, os resultados estão refletindo os efeitos da pandemia, além de outros aspectos relacionados à demanda interna serem alguns dos motivos que causaram esse recuo.

“Há um desarranjo da cadeia produtiva, que faz com que haja encarecimento dos custos de produção e desabastecimento de matérias-primas para produção do bem final. Isso vem trazendo, pelo lado da oferta, maior dificuldade para o avanço do setor”

disse André.

Como isso afeta os trabalhadores?

Segundo ele, há uma precarização das condições de emprego (como salários menores em novos postos de trabalho), além de uma renda disponível menor para as famílias devido a uma inflação maior. Isso prejudica a cadeia de consumo, como as condições de compra por parte das famílias.

Os setores que mais puxaram o resultado para baixo foram o de produtos químicos, produtos farmacêuticos e farmoquímicos, veículos automotores, produtos derivados do petróleo e equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos.

Adm

Você sabia que os dados oficiais dos principais indicadores do país (inflação, juros, PIB...) também são publicados oficialmente pelo IBGE?

Inscreva-se na nossa newsletter!