IBGE: Brasil perdeu quase 30 mil indústrias em seis anos

Depois do auge industrial em 2013 no país, será que o setor foi ladeira abaixo?
Fábrica com várias máquinas e equipamentos

A indústria brasileira diminuiu, meus amigos! Entre 2013 a 2019, o setor perdeu 28,6 mil empresas. Por mais que estejamos diante de um crescimento em outros setores, estes foram os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (21). 

Essa redução representou, além disso, mais de 1,4 milhão de empregos perdidos nestas indústrias. Já as que se mantiveram ativas passaram a ser mais “enxutas”, contratando menos pessoas e as remunerando menos também.

Os resultados da PIA (Pesquisa Industrial Anual) também registraram uma queda de 8,5% no número de fábricas abertas no mesmo período. 

Em 2013 o número de empresas em funcionamento, de acordo com o PIA, era de 335 mil, enquanto em 2019 era de 306,6 mil – o menor número desde 2010, cujo registro foi de 299 mil fábricas. Já o maior número, em 2013, foi de 334,9 mil empresas e cerca de nove milhões de empregados.

A queda representou 15,6% no número de vagas fechadas.

Vale dizer que a extração de petróleo e de gás natural apresentou crescimento de mais de 50% no número de empresas; No entanto, a preparação de couros e fabricação de calçados do material, artigos para viagem, entre outros, foi a que mais perdeu empresas – mais de 30% dentro do intervalo de tempo.

Comparando com 2010, no entanto, houve um aumento de quase 3% no número de indústrias ativas – mas mesmo assim, o número de empregos na década diminuiu em quase 10%, sendo um total de 769 mil postos de trabalho perdidos no setor.

Segundo o IBGE, a redução da mão de obra refletiu na dimensão média das empresas, que diminuiu também. Além disso, a média de salários registrada pelo instituto caiu. 

Inscreva-se na nossa newsletter!