Famílias de baixa renda terão redução automática na conta de luz

O benefício deve contemplar cerca de 11,5 milhões de famílias brasileiras
Uma pessoa trocando a lâmpada

Caro é apelido para o preço da energia ultimamente. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou ontem (30) que as famílias de baixa renda inscritas nos programas sociais do governo serão automaticamente incluídas no protocolo Tarifa Social de Energia Elétrica.

Assim, a expectativa do governo é que mais 11,5 milhões de famílias recebam descontos de até 65% na conta de luz. Atualmente, mais de 12 milhões de famílias já recebem o benefício. 

O que é a tarifa social? 

Esse é o nome dado a um desconto na conta de luz que é fornecido pelo governo federal para famílias de baixa renda. 

O benefício possui descontos que variam entre 10% a 65% e mudam conforme os consumo mensal de cada família (quanto maior o uso em KWh, menor o percentual de desconto). 

Até então, era necessário que as famílias se cadastrassem individualmente, mesmo já tendo registro em algum programa do governo (como o Cadastro Único). 

Porém, muitas pessoas deixavam de recebê-lo, especialmente ao considerar que muitas dessas famílias vivem em regiões remotas e, em muitos casos, não sabem ao menos que têm direito ao benefício.

Por que agora todos os cadastrados terão acesso? 

Em meio ao aumento da inflação, a conta de energia é um dos fatores que tem pesado mais no bolso dos brasileiros. 

Em 12 meses, considerando até outubro deste ano, a energia elétrica teve alta de 30,3% no Brasil e pressionou ainda mais o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o principal indicador da inflação brasileira. 

Dessa forma, o benefício é uma forma de minimizar os impactos da inflação para essas famílias. 

“Basicamente, se resume na redução de burocracia, o que estamos fazendo desde quando assumimos em 2019”, comentou o presidente Jair Bolsonaro após o anúncio. 

Inscreva-se na nossa newsletter!