Em semana de reunião do Copom, qual será a nova taxa Selic?

A própria ata do Copom já havia sinalizado mais uma alta para esta reunião, mas de quanto?
Imagem da fachada do Banco Central, responsável pela taxa Selic

Se você está se perguntando, quando a inflação vai começar a pegar mais leve e quando os preços irão parar de subir tão rapidamente, como fica a Selic, etc. Saiba que essa resposta tem 12 letras: e-s-s-a r-e-s-p-o-s-t-a, ou achou que tudo seria resolvido com mágica?

A certeza do mercado de que nesta semana o Comitê de Políticas Monetárias (Copom), irá subir a taxa de juros em 1 ponto percentual (p.p.), é maior do que as apostas de que a Juliette ia ganhar o BBB do ano passado.

O que é a taxa Selic?

A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Em outras palavras, é a taxa que serve de base para os juros cobrados nos empréstimos e financiamentos. Além de comandar as remunerações dos títulos de renda fixa.

Além disso, a Selic é a principal ferramenta do Banco Central para controlar a inflação.

Onde está o problema?

No contexto. Temos uma inflação que já passou dos 11% no acumulado dos últimos 30 dias e uma meta superior de 5%. 

O mundo ainda tenta absorver os impactos imediatos nas commodities, principalmente nos combustíveis. 

Assim como os Estados Unidos também caminham para um cenário de alta de juros, por conta de uma inflação alta para o histórico do país. 

E com tudo isso, na última ata do Copom, tudo indicava que o ciclo de alta da taxa de juros do Brasil estaria caminhando para o fim. Tudo isso, por conta dos sinais de que a inflação estaria chegando no seu pico e depois cairia. 

E a solução?

Como disse, não há mágica quando falamos de economia. Muitas instituições financeiras defendem que, no melhor dos casos, se a Selic atingir o seu pico, é importante mais uma alta na Selic para garantir o controle do aumento dos preços.

Contudo, só saberemos se a autoridade monetária está mesmo disposta a voltar atrás, e se convencer de que ainda há espaço para subir a taxa ou não, nesta quarta-feira (4).

E você saberá tudo em primeira mão na nossa newsletter, então não esqueça de assinar para não perder. 

Inscreva-se na nossa newsletter!