Dividendos da Petrobras vão encher o cofre de Bolsonaro

Neste mês de junho, até o final de julho, a estatal vai despejar bilhões na conta no governo
Imagem do Presidente Bolsonaro, representando dividendos da Petrobras

Em meio às crises da empresa, pelo menos para a União, que é a sua maior acionista, os dividendos da Petrobras são motivo de alegria.

Dividendos de bilhões

Não é surpresa para ninguém que a Petrobras vive um cenário caótico que vai desde as idas e vindas de presidentes até às críticas sobre os preços dos combustíveis. No entanto, apesar da crise, a empresa continua remunerando, e muito bem, o seu maior acionista.

De acordo com a Petrobras, entre junho e julho, a empresa repassará cerca de R$ 32 bilhões à União, que detém 50,3% da companhia. Este faz parte de um total de R$ 48,5 bilhões destinados para o pagamento de dividendos do primeiro trimestre do ano.

Leia mais:

Rússia é acusada de dar calote

Petrobras tem novo presidente

Repasse recorde

Somente nos quatro primeiros meses deste ano, a Petrobras já repassou cerca de R$ 70 bilhões a União, entre impostos e compensações governamentais. Estas últimas, relacionadas ao direito cedido à estatal para exploração de petróleo no território brasileiro.

Em 2021, o montante total repassado à União por meio de tributos foi o maior de toda a história da Petrobras. Na ocasião, o pix enviado pela empresa ao governo federal foi de R$ 207 bilhões, 70% maior do que no ano anterior.

Crise para quem?

Então, diante de todos esse bilhões, ficam as críticas sobre a atuação da empresa. Um levantamento feito pelo Bradesco, por exemplo, identificou que de 2011 a 2021, a empresa repassou cerca de R$ 1,4 trilhões para a União, contra R$ 94 bilhões para os acionistas minoritários.

De acordo com o governo, o porquinho de dividendos que a Petrobras vai pagar à União entre junho e julho servirá para ajudar a quitar a dívida pública. A mesma, avaliada em R$ 5,5 trilhões, e que é formada pelos débitos e investimentos que o país faz. 

Apesar dos bilhões envolvidos, o presidente Bolsonaro tem sido um grande crítico do lucro recorde da empresa nestes últimos tempos. No entanto, mesmo com um mão criticando, parece que o governo continuará com a outra mão comemorando os pix da estatal

Inscreva-se na nossa newsletter!