Desemprego cai para 10,5% no trimestre encerrado em abril

Segundo o IBGE, este é o menor resultado do período desde 2015
Imagem de pessoas levantando a carteira de trabalho, simbolizando o desemprego

Falamos bastante sobre inflação, sobre PIB, mas agora é a hora de olhar a parte do copo meio cheia.

A taxa de desemprego registrou a sua menor marca para o período desde 2015. O índice chegou ao patamar de 10,5% no trimestre encerrado em abril deste ano.

Qual a importância da taxa de desemprego?

Altíssima. Imagine que um país que sofre com a inflação, principalmente a que estamos vendo, é importantíssimo que as empresas aumentem a produtividade de suas operações, para atender a demanda.

Além disso, mais pessoas têm o poder de compra, incentivando o consumo, equilibrando essa balança tão importante que é a da oferta e demanda.

Por isso, uma taxa de desemprego cada vez menor, é um fator que pode ajudar nessa luta contra a inflação.

Leia mais:

Como funciona a taxa de desemprego?

A taxa de desemprego pode ser mal interpretada muitas vezes. Essa porcentagem é calculada através do número de pessoas com idade para trabalhar, mas que ainda não possuem um emprego e buscam encontrar.

Destaque para o “buscam encontrar”. Isso quer dizer que, se durante a pesquisa, a pessoa não está buscando emprego, o indivíduo não entra para o cálculo.

O resultado foi bom ou ruim?

Fazendo as devidas comparações, se olharmos o trimestre encerrado em março, comparado com o trimestre encerrado em abril, houve uma queda, saindo de 11,1% para 10,5%, respectivamente.

Já comparado a uma taxa anual, que fornece uma noção melhor, o mesmo período do ano passado, registrou um desemprego de 14,8%, bem acima do número que temos hoje.

Além disso, segundo o Valor Data, a expectativa era que essa taxa ficasse em 10,9%, ou seja, o resultado registrado ainda superou, mesmo que por pouco, a expectativa do mercado.

Qual o impacto disso?

Como foi dito anteriormente, quanto menor a taxa de desemprego, em um cenário de inflação, que a oferta está baixa, melhor para a recuperação, porque isso indica um aumento da produtividade.

E claro, aumento de produtividade não só ajuda no PIB, como também indica que a oferta está aumentando.

Inscreva-se na nossa newsletter!