Depois de mais de um ano, Petrobras reduz preço do diesel

De acordo com a estatal, a redução começará a valer a partir desta sexta-feira (04)
Imagem de caminhão, simbolizando preço do diesel na Petrobras

Acelerando sem pensar no amanhã, desde maio do ano passado, o preço do diesel subia uma ladeira ao infinito e além, mas agora a Petrobras resolveu mudar as coisas.

Chama no precinho

A Petrobras anunciou na tarde de hoje (04), que vai mexer, depois de mais de um ano, no preço do diesel vendido às distribuidoras. De acordo com a publicação, o combustível passará por uma redução de 3,57% a partir de amanhã (05).

No entanto, o desconto valerá apenas para o diesel, não sendo aplicado aos outros produtos da empresa. Desta forma, agora, o litro do combustível que é motor da economia brasileira cai R$ 0,20, passando de R$ 5,61 para R$ 5,41.

Leia mais:

Copom eleva a Taxa Selic e o tom ao mesmo tempo

Uber dispara na bolsa após ficar no verde pela primeira vez

Mas por que o preço do diesel é tão importante?

Antes de tudo, cabe lembrar que com a crise do petróleo se tornando tema relevante ao redor do planeta, os combustíveis não sairiam ilesos dessa. Por exemplo, desde o início dos conflitos entre Rússia e Ucrânia, o preço médio do diesel no mundo já subiu quase 55%.

Contudo, no Brasil, a situação ganha um tom a mais de seriedade em virtude do item ser um pilar no transporte de cargas. Isto porque, no país, cerca de 62% das matérias-primas e produtos são movimentados por caminhões, veículos que bebem diesel até dizer chega.

Desta forma, com uma economia tão dependente do combustível, qualquer variação no seu preço é desastrosa para toda cadeia. Além disso, pela Petrobras sujeitar sua estratégia de venda aos preços aplicados no exterior, o resultado de crises lá fora é sempre um caos aqui.

Só agora que a Petrobras reajusta?

A última alteração para baixo no preço do diesel ocorreu em maio do ano passado, quando o litro passou de R$ 2,76 para R$ 2,71. No entanto, depois de mais de um ano de altas, a justificativa da Petrobras dessa vez é que só agora o mercado global permitiu uma queda.

Porém, com a Rússia reduzindo cada vez mais seu fornecimento de gás à Europa em resposta às sanções, o diesel acaba virando substituto. Ou seja: alerta de escassez do item ativado. Será que dá para confiar em mares mais calmos à frente?

Inscreva-se na nossa newsletter!