Copom se reúne hoje para definir última SELIC do ano

Sabe quando você vai fazer exame no médico e já bate aquele frio na barriga? Bom, assim deve estar a barriga dos diretores do Copom nesta terça. 

Hoje irá acontecer a última reunião para definir a nova taxa SELIC em uma tentativa de frear a alta dos preços da economia. Atualmente a SELIC está em 7,75% ao ano, o maior nível desde setembro de 2017, quando na época estava em 8,25% ao ano. 

Quais são as expectativas? 

A expectativa é que mesmo com a taxa já alta, o Copom pode aumentar em mais 1,5 ponto percentual fazendo com que a SELIC feche o ano em 9,25% ao ano. 

Por que desse aumento desde o início do ano? 

Sabe aquela frase: foguete não tem ré? Bom, a premissa é verdadeira quando se trata de inflação, ou seja: inflação não tem ré, então alguém tem que controlar esse aumento insano dos preços. 

O responsável por controlar o aumento dos preços e para que pare de surgir memes com o preço da gasolina é o Copom (Comitê de Política Monetária) em parceria com a Taxa SELIC. 

A inflação do nosso país já sabe de dois dígitos, ou seja, acima de 10% sendo que a meta estabelecida pelo governo era para segurar a inflação no teto de 5,25%. 

Falar em porcentagem, números sem falar da vida na prática é coisa de portais de notícias antigos. Vamos fazer um teste, você lembra de quanto custava o litro da gasolina no começo do ano, pacote de arroz, preço do iPhone? 

Para o Adm, o maior símbolo de inflação é o preço dos jogos de videogame, que saudades de quando os jogos custavam R$150, hoje por menos de R$250 nem tem mais como comprar.

O aumento da SELIC é usado para segurar o crédito na economia e para que com menos dinheiro em circulação a inflação também seja segurada. 

Inscreva-se na nossa newsletter!