Brasil bate recorde histórico da arrecadação de impostos em agosto

Imposto pra lá, imposto pra cá
imposto

No mês de agosto, a arrecadação de impostos bateu o recorde histórico para o mês desde 1995, quando começou a série histórica, totalizando R$146,4 bilhões. Em relação a agosto do ano passado, o crescimento foi de 7,25%.

Vale dizer: “série histórica” nada mais é do que uma sequência de dados sobre uma variável, obtidos em intervalos de tempos regulares durante mostrando a evolução desta variável ao longo do tempo o tempo.

Em 2021, desde janeiro até agosto, o valor recolhido pelo governo já está próximo a R$ 1,2 trilhão, com alta de cerca de 23,5% acima da inflação considerando o IPCA. Também é o maior valor da série histórica nos primeiros oito meses do ano.

Esses resultados demonstram uma recuperação da arrecadação do governo federal, segundo José Barroso Tostes, secretário especial da Receita Federal.

Outro fator que contribuiu para esse aumento foi uma arrecadação atípica (ou seja, que ocorre somente neste ano) de aproximadamente R$ 5 bilhões em agosto em IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica) e Contribuição Social sobre Lucro Líquido para grandes empresas que exportam commodities.

O setor de commodities, principalmente pensando em minerais e metalurgia, teve um aumento de valor dessas matérias-primas no mercado ao redor do mundo, o que também refletiu por aqui, segundo Claudemir Malaquias, chefe do centro de estudos tributários da Receita.

Somente os recolhimentos atípicos de janeiro a agosto já somaram R$ 29 bilhões. No ano passado, nesses primeiros 8 meses o valor era de R$ 2,8 bilhões.

Dica do Adm

É recorde atrás de recorde, em?

Inscreva-se na nossa newsletter!