Início » Economia » Boletim Focus: Inflação e PIB continuam subindo, já o dólar e a Selic quebram estabilidade e voltam a movimentar

Boletim Focus: Inflação e PIB continuam subindo, já o dólar e a Selic quebram estabilidade e voltam a movimentar

A previsão para a taxa Selic volta a subir e ficar acima dos 6% e a expectativa para o câmbio caiu depois da alta da última semana.
Sede Banco Central do Brasil
Banco Central/Divulgação

Na semana da reunião do Copom a estimativa para a taxa Selic volta a subir, a inflação sobe pela décima semana seguida e a expectativa para o PIB cresce pela oitava vez.

O que é o Boletim Focus?

O Boletim Focus é um relatório semanal feito pelo Banco Central (BC) baseado nas projeções estatísticas que o mercado oferece sobre vários indicadores importantes da economia do país.

Esse boletim funciona como um termômetro da nossa economia e como um referencial para entender quais devem ser os próximos passos da nossa política monetária.

IPCA (5,82%)

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é o indicador oficial da inflação brasileira, ou seja, através desta métrica é que acompanhamos a evolução no crescimento dos preços.

É galera, aqui sem novidades, a previsão para o IPCA sobe pela décima semana seguida, se aproxima dos 6% e se distancia cada vez mais da meta superior da inflação.

Essa subida de 0,38 ponto percentual (p.p.) mostra que o mercado não vê um controle tão eficiente da nossa política monetária. São quase 30 semanas seguidas sem uma queda dessa expectativa.

PIB (4,85%)

O Produto Interno Bruto (PIB) é calculado através da soma de todos os bens e serviços finais produzidos no Brasil. É o indicador que avalia a evolução da economia do país.

Nas últimas semanas, não foi só a estimativa da inflação que vem subindo, mas a do PIB também. 

Pela oitava vez consecutiva o Boletim Focus mostra um otimismo com uma das principais métricas da nossa economia. 

Desta vez o crescimento foi de 0,35 p.p. comparado com o relatório da semana passada. Nesse patamar, caso concretizado, o país não só se recuperaria da queda do ano passado como voltaria a evoluir em termos econômicos.

Taxa de Câmbio (R$ 5,18)

A taxa de câmbio é basicamente o valor que uma moeda vale comparada a outra. Neste caso é sempre comparado o real com o dólar.

Depois de três semanas estáveis, a expectativa para a taxa de câmbio volta a cair. 

Lembrando que na última semana o dólar americano chegou a subir 1,39% depois de atingir a mínima do ano. Vamos ficar de olho.

Taxa Selic (6,25%)

A taxa Selic é a taxa básica de juros do Brasil, exatamente por ser a “taxa básica” ela é a referência para todas as outras taxas de juros praticadas no país sejam de empréstimos ou de financiamentos.

A principal função desta taxa é servir de ferramenta para controlar a inflação. A lógica é a seguinte: com a queda da taxa de juros, os empréstimos e financiamentos ficam mais baratos, aumentando o acesso ao crédito, oferecendo mais dinheiro na economia e estimulando as pessoas a consumirem mais produtos, um aumento na demanda causa o aumento dos preços ocasionando o cenário de inflação.

Já em um cenário oposto, se as taxas sobem, empréstimos e financiamentos ficam mais caros, limitando o acesso ao crédito, o país tem menos dinheiro em circulação, desestimulando o consumo porque as famílias optam por guardar o dinheiro, dessa forma, controlando a inflação.

Nada de estabilidade esta semana. A previsão para a taxa de juros também volta a subir 0,50 p.p. na semana em que o Copom irá se reunir para efetivamente definir a nova meta da taxa Selic. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp