Arthur Lira diz que projeto que reduz ICMS será pautado na terça

Hoje cerca de 21,3% do valor da conta de luz é só de ICMS
foto de presidente que quer reduzir o ICMS

Arthur Lira, presidente da Câmara dos deputados, declarou que o projeto que limita a cobrança do ICMS pelos estados será pautado semana que vem. 

Um projeto para reduzir ICMS?

Esse é o Projeto de Lei Complementar, PLP 18/22, que agora caracteriza combustíveis, energia elétrica, telecomunicações e transportes como bens e serviços essenciais para a vida humana.

Além do cremoso(a). 

Por isso, o projetinho visa limitar a cobrança de ICMS, que é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, cobrado pelos estados. 

Se aprovado, todos os governadores terão que obedecer o teto de 17% de ICMS para os serviços mencionados acima. Isso porque alguns estados chegam a cobrar mais de 30%. 

De acordo com a Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, em média, a conta de luz tem cerca de 21,3% desse imposto. Sem contar que ainda tem o PIS e Cofins, cobrados pelo governo federal, e o CIP, cobrado pelos municípios. 

Quem tem pena é galinha!

Ou seja, somando tudo, os brasileiros pagam cerca de 28% só em tributos na conta de luz. 

Como esse limite na cobrança do imposto ajuda?

Antes de mais nada, grande parte de tudo que se produz depende muito de energia elétrica, combustíveis, comunicações e transportes. 

Vamos dar uma viajadinha… 

Imagine a fábrica do Dollynho. Para funcionar é preciso luz para ligar as máquinas. Após a fabricação desse delicioso refrigerante é necessário um serviço de transporte para levar o produto para os fornecedores. E para sair do lugar, o veículo precisa de combustível. 

Assim, com a redução de impostos em todas essas cadeias, o fabricante vai ficar animado para produzir ainda mais. E quanto mais produtos disponíveis, mais equilibrada vai ficando a balança de oferta e demanda. 

Isso significa uma redução da inflação, que está comendo o povo com farinha. 

Será que o projeto passa?

Ainda não é possível responder essa pergunta. Contudo, estamos em um ano de eleição. Ano em que a bondade reina no coração dos nossos líderes políticos. Qual a sua aposta?

Inscreva-se na nossa newsletter!