Início » Economia » Argentina pode permitir pagamento de salários em bitcoin

Argentina pode permitir pagamento de salários em bitcoin

Um projeto de lei enviado ao Congresso argentino quer liberar salários integrais ou parciais em criptomoedas
Moedas de Bitcoin empilhadas em frente à logo da Argentina
Getty Images

Trabalhadores da Argentina podem começar a receber seus salários em bitcoin em breve.

Isso porque o deputado argentino José Luis Ramón anunciou ter enviado ao Congresso, na última quarta-feira (7), um projeto de lei para permitir que funcionários no país recebam seus pagamentos, de forma integral ou parcial, em criptomoedas. 

O projeto apresentado determina que cada empregado é responsável por decidir se quer ou não receber o salário em moedas digitais.

Além disso, nos casos positivos, o funcionário também deve escolher com qual criptomoeda quer ser remunerado, como bitcoin, ethereum ou tether, por exemplo.

Qual é o intuito de utilizar criptomoedas nos salários?

No documento enviado ao Congresso, o parlamentar afirmou que o uso de criptomoedas para os pagamentos pode fortalecer a autonomia e conservar o poder de compra das remunerações. Isso porque o país latino-americano vem sofrendo com a desvalorização do peso argentino ao longo dos últimos anos.

Somente nos últimos doze meses, a moeda utilizada no país registrou uma desvalorização de mais de 28% diante do real. Na prática, esta queda faz com que seja extremamente difícil preservar o patrimônio no país. 

Por conta disso, as criptomoedas se tornaram uma alternativa popular na Argentina, como acontece em outros países que também enfrentam crises econômicas, como El Salvador e Nigéria.

"Esta iniciativa surge da necessidade de se promover uma maior autonomia e governança salarial, sem que isso implique perda de direitos ou exposição a situações de abuso no âmbito da relação de trabalho"

Deputado José Luis Ramón, em uma publicação no Twitter

Consequentemente, de acordo com o deputado membro do partido Protectora Fuerza Politica, de centro-esquerda, o projeto pode dialogar também com outras propostas em andamento que visam desencorajar a dolarização no país para a preservação do poder aquisitivo. Afinal, segundo ele, o uso de criptoativos já seria uma alternativa inteligente e moderna para essa conservação.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp