Alta de preços em 2021 faz setor de mineração projetar recordes financeiros

Apesar da queda dos últimos meses, a previsão é voar alto nos próximos
minerios

O setor de mineração, devido à alta de preços neste ano, deverá bater recordes. É o que disse o balanço publicado esta semana pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), em nome das maiores mineradoras que atuam no Brasil. 

Os relatórios registram uma alta de 112% no faturamento das empresas do setor, considerando o período de janeiro a agosto deste ano em relação ao ano passado. O valor de 2021 ficou em R$ 219 bilhões contra R$ 103,7 bilhões em 2020.

A notícia veio em meio ao Congresso Brasileiro de Mineração, um evento que está ocorrendo online pela segunda vez por causa da pandemia.

O presidente do Conselho Diretor do Ibram, Wilson Brumer, mostrou-se otimista, trazendo a perspectiva de que, neste momento, o valor de faturamento de todo o ano passado já foi atingido.

E de fato, mesmo em meio à pandemia de covid-19, o setor já havia batido recordes no ano passado. Os principais fatores para isso não são de se espantar, né? Adivinha!

  • Alta das commodities no mercado internacional (principalmente minério de ferro);
  • Valorização do dólar frente ao real, dando aquele “up” no lucro com as exportações.

A influência desses fatores também fica clara quando se observa o volume produzido: ocorreu aumento de 9,6% na produção neste período em relação ao ano anterior.  

E vale dizer: mesmo diante da queda apresentada nos preços (a se observar, por exemplo, um pico em maio de US$ 233,10 por tonelada de minério de ferro e agora na última semana o valor estar em US$ 117,80),  o valor ainda está acima do ano passado.

Ainda nesse cenário de alta de preços, considerando de janeiro a agosto, este ano está 89% à frente do ano passado.

Vale lembrar que, a nível estadual, há a paralisação de diversas obras em Minas Gerais, por exemplo, em decorrência de tragédias como a de Brumadinho em 2019 e Samarco em 2015, que geraram muitas mortes.

O estado de Minas, que é beneficiado pelo minério de ferro ser comparável com aquele produzido na Austrália, tem a vantagem das disputas que a China vem enfrentando com o país. “Minas Gerais tira proveito disso”, disse o presidente do Conselho do Ibram.

Qual a consequência desse desempenho?

A consequência direta é o “royalty da mineração”. Royalty é basicamente uma quantia paga por alguém a um proprietário pelo direito de uso, exploração e comercialização de um bem. Nesse caso, estamos falando da exploração de recursos minerais.

Aqui, a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais tem até uma sigla: CFEM. Esse royalty já superou o ano passado e a perspectiva é de que esteja ainda maior daqui pra frente!

 

Inscreva-se na nossa newsletter!