Bitcoin chega a 17% de queda nas últimas três semanas

A baixa de quase 4% nesta manhã, a cotação do Bitcoin chega a níveis de março
Imagem de um gráfico de Bitcoin em queda

Você quer entender o que está acontecendo com o Bitcoin nessas últimas semanas? Vou explicar tudo.

A criptomoeda mais popular do mundo, está em queda de quase 4% na manhã desta segunda-feira (18). A queda soma para os 17% de baixa nas últimas três semanas. Com este resultado, a cotação do Bitcoin chegou ao patamar de março deste ano. 

Queda do Bitcoin afeta o mercado inteiro?

E não é só o Bitcoin que está em queda. Apesar da criptomoeda ter perdido o patamar de US$ 40 mil, algo que os especialistas consideravam importante para a valorização da moeda, a segunda maior criptomoeda também não está bem assim.

A Ethereum está com uma baixa de 4,5%, aproximadamente, nesta manhã e já mostra um recuo de 15,33% nas últimas três semanas. 

O que está causando esta queda no Bitcoin?

Bom, primeiro de tudo, a inflação nos Estados Unidos. Apesar de muitas pessoas defenderem que o Bitcoin é uma opção como reserva de valor, o que joga contra o criptoativo é a consequência da inflação.

Com o aumento de preços da economia americana, o Federal Reserve (Fed), Banco Central dos Estados Unidos, elevou a taxa de juros. 

Dessa forma, muitos investidores que estavam buscando o risco para encontrar uma boa rentabilidade, começaram a virar suas atenções para os títulos públicos americanos, considerados os investimentos mais seguros do mundo.

Outro fator é que, ao que tudo indica, essa alta dos juros não será isolada, mostrando que os EUA estão entrando em um ciclo de alta dos juros para controlar a inflação.

Isso quer dizer que muitas pessoas estão deixando o risco da criptomoeda, para se resguardar nos títulos públicos americanos.

Então todas as criptomoedas entrarão em baixa?

Não. Muitas das criptomoedas que estão se “salvando”, é porque o mercado começa a entender o valor intrínseco das empresas que estão por trás das criptomoedas.

Isso porque, as principais criptomoedas de De-Fi (Finanças descentralizadas), ainda estão suportando a queda, pelo desenvolvimento dos seus próprios projetos.

Além disso, algumas memecoins, por serem frutos de especulações, acabam seguindo caminhos aleatórios, mostrando também sobreviver a essa queda.

Inscreva-se na nossa newsletter!