Bitcoin atingiu a mínima do ano nesta madrugada, o que aconteceu?

Na madrugada de hoje, o Bitcoin caiu abaixo dos 30 mil dólares, a mínima de 2022
Imagem do Bitcoin com a sua cotação em queda

Esta madrugada foi de pesadelos para os investidores da criptomoeda mais popular do mundo, o Bitcoin. 

Por volta das 00h30 desta terça-feira (10), o Bitcoin estava cotado a US$ 29.940,50 a menor cotação deste ano, até o momento. Contudo, ao longo da madrugada a moeda voltou a subir e a partir das 04h já estava acima dos US$ 31 mil.

Nos últimos 7 dias, a maior criptomoeda do mercado acumula perdas de mais de 18%. Isso representa uma queda superior a US$ 130 bilhões em valor de mercado no período.

Qual o motivo da queda do Bitcoin?

Apesar do mercado de criptomoedas ter sofrido uma queda generalizada, ela já era esperada pelos especialistas. Isso porque o cenário econômico global já indica um momento em que os investidores não querem assumir tantos riscos.

Com a inflação alta em quase todo o mundo, junto com um risco de retração da economia, os investidores começaram a tirar parte de seu patrimônio de ativos de risco, para realocar em investimentos com menos risco, como os títulos do Tesouro americano.

Essa regra vale tanto para as criptomoedas, como também para ações de tecnologia e nas bolsas de valores dos mercados emergentes, como o Brasil. 

Para ilustrar isso é só observarmos o Ibovespa, que nos últimos 7 dias registra uma queda de 3% até as 11h desta terça-feira. Assim como o índice Nasdaq, com as principais empresas de tecnologia, está em queda de 1,90% no mesmo período. 

O problema da inflação

A grande dor de cabeça dos bancos centrais ao redor do mundo é que esta inflação atual está sendo ocasionada pela baixa oferta de produtos e serviços. 

Isso quer dizer que a atividade econômica já está baixa, e para uma mesma demanda, este desequilíbrio faz com que o preço suba. Consequentemente, os bancos centrais aumentam a taxa de juros do país para conter o aumento dos preços. 

A questão é que o aumento da taxa de juros, afeta ainda mais a atividade econômica que já estava fraca, desestimulando o consumo, mas também a produção. Por isso muitos países estão enfrentando inflação e recessão juntos, como a Inglaterra.

E claro, isso afeta todos os mercados e todos os países, por isso, se você não sabia disso, é porque não assina a nossa newsletter gratuita.

Inscreva-se na nossa newsletter!