Turismo espacial deve abrir espaço para novas oportunidades de negócios

A viagem de Jeff Bezos, nesta terça, é apenas mais um marco do turismo espacial
Foguete da Blue Origin, New Shepard saindo do chão com seus propulsores

52 anos após a chegada do homem à Lua, o turismo espacial ganhará mais um passo importante nesta terça-feira (20). 

Hoje, o fundador da Amazon e homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, embarca para o espaço em uma nave da Blue Origin, empresa fundada por ele. O voo, de cerca de dez minutos, está marcado para 10h, no horário de Brasília.

Durante a viagem, Bezos será acompanhado por outros três tripulantes: 

Mark Bezos, irmão do bilionário, Wally Funk, uma astronauta de 82 anos e Oliver Daemen, um estudante de 18 anos.

A expectativa é que os viajantes fiquem acima da linha de Kármán, uma fronteira imaginária de 100 km acima do nível do mar. De lá, os tripulantes poderão contemplar uma vista panorâmica da Terra e do espaço.

Este é o primeiro voo civil, sem a presença de um piloto, ao espaço. Isso porque a viagem será totalmente conduzida pelo veículo de lançamento autônomo e reutilizável da Blue Origin, chamado New Shepard.

Pequeno passo para o homem? 

A viagem realizada por Bezos é só mais um dos passos para explorar o turismo espacial. No último dia 11, o bilionário britânico Richard Branson, ao lado de dois pilotos e três especialistas, deu a largada às viagens turísticas ao espaço.

O empresário levou cerca de uma hora para sair de solo norte-americano, chegar ao espaço — onde ficou por apenas três minutos — e retornar à superfície terrestre.

O voo, que atingiu 88 km de altura, foi realizado pela aeronave VSS Unity, da Virgin Galactic. A empresa, fundada por Brason, é uma das principais concorrentes da Blue Origin.

Além das duas companhias, a SpaceX, de Elon Musk, também deve disputar uma parte deste segmento em breve. Afinal, a empresa possui planos ousados para o turismo espacial, incluindo uma viagem em torno da Lua, prevista para ocorrer em 2023.

Assim nasce um novo mercado

Na prática, o avanço do turismo espacial não é apenas um passo importante para a ciência e para a história, mas representa também o surgimento de novas oportunidades de negócios.

“Isso vai não só permitir que muito mais pessoas vão ao espaço, como criará novas oportunidades para ciência, tecnologia e empreendedorismo, incrementando a economia e expandindo a área de alcance das atividades humanas”, explica o jornalista de ciência e sócio-fundador da Associação Aeroespacial Brasileira (AAB), Salvador Nogueira, em entrevista exclusiva à The Compass.

De acordo com o especialista, a discussão sobre turismo espacial não é recente. Ao longo dos anos, hotéis em órbita e mineração de asteroides são assuntos que vêm sendo debatidos. No entanto, Salvador acredita que esta é a primeira vez que o avanço tecnológico está próximo de tornar tudo isso viável.

Com o avanço do segmento e a otimização das aeronaves, o sócio fundador da AAB acredita que é possível esperar que as viagens espaciais deixem de ser uma exclusividade dos maiores bilionários do planeta e que, aos poucos, sejam aproveitadas por um grupo maior de pessoas.

“Não só com empresas como a Blue Origin e a Virgin Galactic, que tendem a reduzir seus custos operacionais e recuperar seu investimento nos próximos anos, viabilizando a queda de preços, como com iniciativas como o Starship, foguete de alta capacidade em desenvolvimento pela SpaceX. Elon Musk prometeu que seria possível voar 100 pessoas de uma vez nele, inclusive fazendo voos espaciais de um ponto a outro da Terra”, explica o jornalista.

Enquanto as viagens espaciais ainda não estão disponíveis, a dica é acompanhar os voos em andamento.

O lançamento da aeronave New Shepard, de Jeff Bezos, será transmitido ao vivo no site oficial da Blue Origin, a partir de 8h30, no horário de Brasília. “Vai ser divertido. Mais ainda para quem estiver dentro”, avalia o sócio-fundador da AAB.

Inscreva-se na nossa newsletter!