Comprar ou alugar imóvel: descubra qual é a melhor opção para você

Está pensando em morar sozinho? Comprar, alugar ou construir são opções interessantes para perfis diferentes
"Inflação do aluguel" cai 0,64% em setembro, primeira queda em 18 meses

Comprar ou alugar: descubra qual é a melhor opção para você
(Foto: Getty Images)

Decidir morar sozinho é um passo e tanto na vida de qualquer pessoa. Nessa hora, planejamento é a palavra mais importante e a escolha de comprar ou alugar pode deixar muita gente de cabelo em pé!

De acordo com uma pesquisa da agência Today, alugar está se tornando uma opção queridinha para os millennials, que são aqueles entre 25 e 39 anos. Isso porque 80% das pessoas nessa faixa etária prefere alugar um imóvel ao invés de comprar.

Além disso, há também a opção de construir um imóvel, que está se tornando cada vez mais popular entre aqueles que gostam de investir no mercado imobiliário.

Porém, é importante não se deixar levar pelo senso comum e entender que vários fatores podem influenciar essa decisão, como:

  • Planejamento financeiro;
  • metas de vida;
  • momento da carreira;
  • cenário econômico.

Para te dar uma mãozinha nessa tarefa, confira a seguir quais são as principais vantagens e desvantagens de cada um desses modelos!

Comprar imóvel

Comprar é uma decisão que pode deixar muitas pessoas receosas, já que exige um comprometimento grande de dinheiro para a entrada e as parcelas. Porém, em um cenário de juros baixos, como o que estamos vivendo agora, essa pode ser uma boa opção, especialmente para quem pensa em financiar.

Adm Explica

A taxa Selic, como é chamada a taxa básica de juros do Brasil, influencia diretamente nas taxas de financiamento imobiliário. Assim, em momentos de juros baixos, as condições para financiar um imóvel ficam melhores, o que reflete até no valor das parcelas.

Vale lembrar que mesmo com um novo aumento da Selic para 5,25% ao ano, que aconteceu em agosto, a taxa ainda está em um patamar baixo em relação ao histórico brasileiro. Entre 2015 e 2016, por exemplo, a taxa chegou a 14,25% ao ano.

Para o broker of records da imobiliária eXp, Luiz Barcellos, o momento atual faz com que a compra possa ser ótima opção para pessoas que pretendem morar por um longo período no mesmo lugar.

"Quando for algo mais duradouro, o recomendável nos dias de hoje é a compra, se for viável. O investimento em imóvel não tem a liquidez do mercado financeiro, mas é uma valorização garantida",

explicou o broker of records da eXp, em entrevista à The Compass.

Outro ponto positivo de comprar um apê (ou uma casa) é que você terá liberdade para fazer as mudanças que quiser para deixar o espaço com a sua cara. Além disso, o imóvel será mais um bem no seu nome.

Alugar imóvel

Você provavelmente já ouviu alguém dizer que alugar é jogar dinheiro fora. Porém, essa pode ser uma ótima opção para muitas pessoas.

Afinal, o aluguel não exige que você comprometa sua renda e ainda permite que você invista o seu dinheiro guardado. Com isso, você pode receber proventos, como dividendos ou juros sobre capital próprio, e ter uma rentabilidade que te ajudará a ter uma vida mais confortável no futuro.

“Quando você não tem condições de fazer a compra, o que acontece muito para jovens que estão iniciando, o aluguel pode ser uma primeira etapa até que seja possível juntar uma economia compatível”, disse Luiz.

Além disso, se você pensa em mudar de país ou de cidade para estudar ou trabalhar, por exemplo, talvez essa seja a melhor alternativa para você.

Já que tudo tem um lado negativo, o aluguel não está em seu melhor momento no Brasil. Como mostramos aqui, a “inflação do aluguel” subiu mais de 30% nos últimos 12 meses.

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), nome formal desse indicador, é nada mais nada menos do que um dos medidores de inflação no país. A questão é que ele é utilizado como base para ajustes nos contratos de aluguel, o que também reflete nos preços.

Vale destacar também que hoje em dia existem diversas plataformas de moradia por assinatura, como a NOMAH, a Housi e a Yuca, por exemplo. Essas opções geralmente incluem uma série de facilidades, como móveis e conexão WiFi.

Ou seja: mão na roda para quem quer praticidade e não quer se preocupar com a parte mais “chata” da mudança.

Construir imóvel

Essa costuma ser uma alternativa “renegada” por quem está querendo uma nova casa, mas também é uma opção interessante e que pode funcionar até como um investimento.

"A gente vê na construção uma forma de investir no mercado imobiliário, já que a casa vai ter uma valorização e pode ser vendida posteriormente",

explicou Vinicius Motta, CEO da plataforma de construção e financiamento de terrenos Minha Casa Financiada, em entrevista à The Compass.

Segundo ele, construir uma casa é uma boa pedida para quem quer ter “o imóvel dos sonhos”, mas por um preço mais barato. Isso porque, em muitos casos, sai muito mais em conta comprar um terreno e construir uma casa do que comprar uma propriedade daquele tamanho, estilo e localização, mas já pronta.

“A construção de um imóvel financiado hoje é mais barato do que você alugar ou construir”, disse Vinicius.

Um outro lado interessante é que hoje em dia já é possível financiar um terreno, o que pode facilitar a vida de quem se interessa por essa opção. 

Assim, você pode pagar parcelas equivalentes ao valor de um aluguel, por exemplo, e não ter que comprometer todo aquele dinheiro que você juntou com muito suor!

Inscreva-se na nossa newsletter!